Seus olhos competem a razão que as gotas lutam pelo mar

Suas mãos persistem o suspiro que um abraço pode a cura a despossuir

O sorriso endireita qualquer descuido de quem olhará de novo para trás.

E permaneço aqui:

Embaraçando as palavras para te encobrir numa devoção

o numerário de meu reverso

Te esconder no cume desta grandeza

que não revelo todo o segredo

se te descobri

Porque te quero

o sentido dos versos exauridos de quem amou

Retiro as palavras para molduras –

poesia é nenhuma culpa de beldade.

E além do que desenhei escrita

para te poder dentro de mim

A beleza que seja o tamanho do mundo quando te vi

Leonardo Valesi Valente

Bookmark and Share


Anúncios